Biografia dos Santos

Archive for the ‘Santa Faustina’ Category


A vida de Santa Faustina

“A Irmã Faustina Kowalska, conhecida em todo mundo, apóstola da Misericórdia de Deus, é considerada pelos teólogos como fazendo parte de um grupo de notáveis místicos da Igreja. (p.8)

Nasceu como terceira de dez filhos numa pobre, mas piedosa família de aldeões, em Glogowiec. No Batismo, na igreja paroquial de Swinice Warckie, recebeu o nome de helena. Desde a Infância distinguiu-se pela piedade, pelo amor à oração, pela diligência e obediência, e ainda, por uma grande sensibilidade com as misérias humanas. (p.8)

O chamamento da vocação faz-se sentir desde os sete anos de idade(dois anos antes da Primeira Comunhão), embora os pais não concordassem com a idéia da entrada da filha para um Convento. (p.8)

Na Congregação recebeu o nome de Irmã Maria Faustina. Àquela simples religiosa, sem instrução, mas valorosa e de uma confiança sem limites em Deus, Jesus Cristo confiou a grande missão:a Mensagem da Misericórdia dirigida a todo mundo.(p.9)

Fisicamente esgotada até ao limite, embora em pleno amadurecida no seu espírito, misticamente unida a Deus, acabou por falecer em fama de santidade a 5 de Outubro de 1938, contando apenas com 33 anos de vida e 13 de profissão religiosa.(p.9)

O maior sofrimento do purgatório

O maior sofrimento das almas do purgatório é a saudade de Deus. “Vi Nossa Senhora que visitava as almas do purgatório. As almas chamam a Maria “Estrela do Mar”. Ela lhes traz alívio. (p.26).

O amor de Deus

“Deus é sempre Pai, mesmo na provação”(p.28)

Adoração

Jesus disse à Santa Faustina: “Vai falar com a Superiora e pede que te permita fazer diariamente uma hora de adoração, durante nove dias: que nessa adoração, procures unir a tua prece à de Minha Mãe. Reza de coração unido a Maria e, também procura durante este tempo fazer a via-sacra.”(p.31).

O amor de Deus nos completa

Compreendi que fora de Deus não existe contentamento em nada.”(p.33)

Jesus disse à Santa Faustina: “Pinta uma imagem de acordo com o modelo que estás vendo, com a expressão: Jesus, eu confio em Vós. Desejo que esta imagem seja venerada, primeiramente, na vossa capela, e, depois, no mundo inteiro. Prometo que a alma que venerar esta imagem não perecerá. Prometo, também, já aqui na Terra, a vitória sobre os inimigos e, especialmente, na hora da morte. Eu mesmo a defenderei como Minha própria glória.”(p.34)

Ensinamento de Jesus sobre a confiança

Jesus disse à Santa Faustina: “A falta de confiança das almas dilacera-me as entranhas.Dói-me ainda mais a desconfiança da alma escolhida. Apesar do meu amor inesgotável, não acredita em Mim, mesmo a Minha morte não lhes é suficiente.”(p.35).

Que todos saiam da sua presença felizes

Ensinamento recebido por Santa Faustina: “Procura fazer com que todo aquele que se encontrar contigo se despeça feliz. Cria à tua volta uma atmosfera da felicidade, porque tu recebeste muito de Deus,e por isso, dá muito aos outros. Que todos saiam da tua presença felizes,ainda que toquem apenas aborda da tua veste.”(p.36).

Declaração de amor de Santa Faustina a Deus

“Ó meu Jesus que sois minha vida. Porque as almas se afastam de Vós, ó Jesus, isso eu não compreendo. Oh! Se eu pudesse cortar o meu coração em pedacinhos pequenos e dessa maneira oferecer-Vos, Jesus, cada pedacinho como se fosse o coração inteiro, para ao menos em parte Vos desagravar pelos corações que não Vos amam. Amo-Vos, Jesus, com cada gota do meu sangue, que derramaria de boa vontade por Vós, para Vos dar uma prova do meu amor sincero.”(p.37).

O sofrimento

“O sofrimento é uma grande graça. Pelo sofrimento, a alma assemelha-se ao Salvador; no sofrimento, cristaliza-se o amor. Quanto maior o sofrimento tanto mais puro torna-se o amor.”(p.38).

Jesus disse a Santa Faustina: “Não recompenso o bom êxito no trabalho, mas o sofrimento”. (p.47).

Misericórdia de Deus

“Deus a ninguém negará a Sua misericórdia. O Céu e a Terra poderão mudar, mas não se esgotará a misericórdia de Deus.”(p.42).

Sabedoria no falar

“A alma não atingirá a santidade senão tomar cuidado com a língua.”(p.48)

Santa Faustina ensina como se confessar

“Em primeiro lugar, total sinceridade e franqueza. Segundo: humildade. Terceiro: obediência.”(p.58).

“A língua é um membro pequeno, mas realiza grandes coisas. A religiosa que não sabe calar-se nunca atingirá a santidade, ou seja, jamais será santa. Que não se iluda – a não ser que através dela esteja falando o Espírito Santo de Deus; neste caso, não é permitido calar-se; Mas, para ouvira voz de Deus, é preciso ter o silêncio da alma, isto é, com o recolhimento em Deus. Pode-se falar muito e não interromper o silêncio, e, ao contrário, pode-se falar pouco e, sempre romper o silêncio.”(p.60).

A palavra de Deus é eloqüente

“A palavra de Deus é eloqüente e nada a pode sufocar!”(p.64)

O amor puro

“O amor puro é capaz de grandes ações e não se deixa abater por dificuldades ou contrariedades. Assim como o amor é forte nas grandes dificuldades, assim também é perseverante na vida monótona, diária, penosa. A alma que ama sabe que, para ser agradável a Deus, uma só coisa é necessária, isto é, fazer mesmo as mínimas coisas por grande amor – amor é sempre amor.”(p.67).

Rezar sempre

“É pela oração que a alma se arma para toda espécie de combate. Em qualquer estado em que se encontre, a alma deve rezar. E não existe uma só alma que não tenha a obrigação de rezar, porque toda a graça provém da oração.”(p.69).”

Ter olhos puros e cheios de amor

“A alma nobre e delicada, ainda que amais simples, desde que possua uma fina sensibilidade, vê Deus em tudo, encontra-o em toda parte. Tudo para ela tem significado, a tudo dá grande valor, por tudo agradece a Deus, de tudo tira proveito para a alma,e atribui toda a glória a Deus. Confia N’ele e não se confunde quando chega o tempo das provações.”(p.70).

Sonho de Santa Faustina com Santa Terezinha:


“Quero anotar um sonho que tive a respeito de Santa Teresinha do Menino Jesus. Eu era ainda noviça e tinha certas dificuldades, que não conseguia superar. Tratava-se de obstáculos interiores, mas que se relacionavam com dificuldades exteriores. Fiz novenas a vários Santos, mas a situação tornava-se cada vez mais difícil. Os meus sofrimentos eram tão grandes que já não como continuar a viver. De repente, veio-me a idéia de rezar a Santa Teresinha do Menino Jesus. Comecei uma novena a essa Santa, pois já antes do ingresso no Convento tinha uma grande devoção a ela. Agora me descuidei um pouco dela, mas, nessa necessidade, novamente, comecei a rezar com todo fervor. No quinto dia da novena sonhei com Santa Teresinha, mas como se ela ainda estivesse na Terra. Ocultou diante de mim a circunstância de ela ser Santa e começou a consolar-me, para que eu não ficasse tão triste por causa desse problema, mas confiasse mais em Deus. Afirmava-me: “Também eu sofri muito”, e eu não acreditava que ela houvesse sofrido muito e disse-lhe então:” A mim me parece nada haver sofrido”. Mas Santa Teresinha respondeu convencendo-me de que sofria muito e disse-me:”Dentro de três dias, a Irmã verá que esse problema será resolvido da melhor maneira.” Quando eu não queria acreditar muito nela, então ela se deu a conhecer, dizendo que era uma santa. Neste momento, minha alma encheu-se de alegria e perguntei-lhe: Você é uma santa”, e ela me respondeu que sim: “Sou uma santa e confie que o seu problema se resolverá no terceiro dia.” E eu disse a ela: “Santa Teresinha, diga-me irei para o céu?” – Respondeu-me: “A irmã irá para o céu”. – “E serei santa?” – Respondeu-me: “ A irmã será santa”. Mas, Teresinha, eu serei uma santa como você, nos altares?” E ela me respondeu: “Sim, você será uma santa como eu, mas deve confiar muito em Jesus”. – E perguntei-lhe se meu pai e minha mãe irão para o céu – respondeu-me: Irão. E continuei a perguntar: “E as minhas irmãs e meus irmãos também irão para o Céu? – Respondeu-me que rezasse muito por eles e não me deu uma resposta certa. Compreendi que necessitavam, de muitas orações. (p.71).

Sonho de Santa Faustina:

“Um dia, vi duas estradas: Uma estrada larga, coberta de areia e flores, cheia de alegria, de música e de vários prazeres. As pessoas caminhavam por esta estrada dançando e divertindo-se – estavam chegando ao fim sem se aperceberem disso. E, no final dessa estrada, havia um enorme precipício, ou seja, o abismo do inferno. Essas almas caíam às cegas na voragem desse abismo; A medida que iam chegando, assim, tombavam. E seu número era tão grande que não era possível contá-las. E avistei uma outra estrada, ou antes uma vereda, porque era estreita e cheia de espinhos e de pedras, por onde as pessoas seguiam com lágrimas nos olhos e sofrendo dores diversas. Uns tropeçavam e caiam por cima dessas pedras, mas logo se levantavam e iam adiante. E no final da estrada havia um magnífico jardim, repleto de todos os tipos de felicidade e aí entravam todas as almas. Já no primeiro momento esqueciam dos seus sofrimentos.”(p.72).

Não faltar à comunhão

Jesus disse à Santa Faustina: “Minha filha, não faltes à comunhão, a não ser quando tiveres a certeza de que pecaste gravemente; afora isso, não permitas que nenhuma dúvida impeça a tua união Comigo no Meu mistério de amor. As tuas pequenas faltas desaparecerão no Meu amor como uma palha jogada num grande braseiro. Sabe que muito Me entristece, quando Me abandonas na Santa Comunhão.” (p.73).

Jesus disse à Santa Faustina: “Minha filha, estando em agonia rezai com mais intensidade”(p.73).

Oração para ser misericordioso (p.76)

Ó Santíssima Trindade, quantas vezes o meu peito respirar, quantas vezes o meu coração bater, quantas vezes o meu sangue pulsar em mim, outras mil vezes desejo adorar Vossa Misericórdia.

Desejo Transformar-me toda em Vossa Misericórdia, para tornar-me o Vosso reflexo vivo, ó meu Senhor! Que a Vossa misericórdia, que é insondável e de todos os atributos de Deus o mais sublime, se derrame do meu coração e da minha alma sobre o próximo.

Ajudai-me, Senhor para que os meus olhos sejam misericordiosos, de modo que eu jamais suspeite nem julgue as pessoas pela aparência externa, mas perceba a beleza interior dos outros e possa ajudá-los.

Ajudai-me, Senhor, para que os meus ouvidos sejam misericordiosos de modo que eu esteja atento(a) às necessidades dos meus irmãos e não me permitais permanecer indiferente diante de suas dores e lágrimas.

Ajudai-me, Senhor, para que a minha língua seja misericordiosa, de modo que eu nunca fale mal dos meus irmãos; que eu tenha para cada um deles uma palavra de conforto e de perdão.

Ajudai-me, Senhor, para que as minhas mãos sejam misericordiosas e transbordantes de boas obras, nem se cansem jamais de fazer o bem aos outros, enquanto, aceite para mim as tarefas mais difíceis e penosas.
Ajudai-me Senhor, para que o meu coração seja misericordioso e se torne sensível a todos os sofrimentos do próximo; ninguém receba uma recusa do meu coração. Que eu conviva sinceramente mesmo com aqueles que abusam da minha bondade. Quanto a mim, me encerro no Coração Misericordioso de Jesus, silenciando aos outros o quanto tenha que sofrer.

Vós mesmo mandais que eu me exercite em três graus da misericórdia; primeiro: Ato de misericórdia, de qualquer gênero que seja; segundo Palavra de misericórdia – se não puder com a ação, então com a palavra; terceiro: Oração. Se não puder demonstrar com a ação nem com a palavra a misericórdia, sempre a posso com a oração. A minha oração pode atingir onde não posso estar fisicamente.

Ò meu Jesus, transformai-me em Vós, porque Vós tudo podeis.(p.76-77).

Entregar-se plenamente a Deus

“Jesus, aceito tudo que quiseres me enviar confio na Tua bondade.” (p.84).

A bondade de Jesus

“A bondade de Jesus é tão grande que não é possível expressá-las em palavras.(p.86).

Não levar em consideração o respeito humano

“Não levar em consideração o respeito humano, mas escutar a própria consciência, que nos dá o testemunho;(p.90).

Sabedoria

“Conviver sinceramente com aqueles que sempre ferem, exige uma grande renúncia. A gente sente que está perdendo sangue e não vêem as feridas.”(p.92).


Não julgar as pessoas

“Não julgar nunca a ninguém, ser indulgente com os outros”(p.97).

Humildade

Conselho do Padre Dr. Sopocko: “Sem humildade, não podemos agradar a Deus. Exercite-se no terceiro grau da humildade, isto é, não tente se explicar e justificar, quando a acusarem de alguma coisa, alegre-se com a humilhação.(p.100).

Ensinamento de Jesus sobre o sofrimento

Jesus disse à Santa Faustina: “Minha filha, é no sofrimento que mais agradas. Nos teus sofrimentos físicos ou morais, Minha filha, não procures a compaixão das criaturas. Quero que o aroma dos teus sofrimentos seja puro sem qualquer mistura. Quero que te desprendas não só das criaturas, mas de ti mesma. Minha filha, desejo deleitar-Me com o amor do teu coração, com o amor puro,virginal, impecável e sem nada obscurecido. Minha filha, quanto mais amares o sofrimento, tanto mais puro será o teu amor para Comigo.” (p.102).

Santa Faustina pede misericórdia pela pátria

“Jesus Misericordiosíssimo, peço-Vos pela intercessão dos Vossos Santos; e especialmente pela intercessão de Vossa Mãe Diletíssima, que Vos educou na infância,suplico-Vos, abençoai a minha Pátria. Jesus, não olheis para os nossos pecados, mas olhai para as lágrimas das criancinhas, para a fome e o frio que sofrem. Jesus,por esses inocentes, concedei-me a graça que Vos peço pela minha Pátria. Neste momento vi Nosso Senhor, que tinha os olhos rasos de lágrimas, enquanto me dizia: Estás vendo,Minha filha,quanta pena sinto delas; sabe que elas sustentam o mundo.”(p.103).

Ensinamento de Jesus à Santa Faustina sobre as perseguições

Jesus disse à Santa Faustina: “Não te admires se, às vezes, és julgada injustamente. Eu, por amor, bebi por primeiro o cálice de sofrimentos não merecidos. (p.104).”

Ensinamento de Jesus à Santa Faustina sobre a alegria por ser escolhida

Jesus disse à Santa Faustina: “Procede como um mendigo, que, quando recebe uma esmola maior, não a recusa, mas antes a agradece efusivamente; também tu, sete concedo graças maiores, não te escuses dizendo que és indigna delas. Eu sei disso; mas antes fica feliz e alegra-te e tira tantos tesouros do Meu Coração, quantos puderes carregar.”(p.105).

Ensinamento de sobre a imagem da Divina Misericórdia

Jesus disse à Santa Faustina: “Os dois raios representam o Sangue e a Água: o raio pálido significa a Água que justifica as almas. Ambos os raios jorraram das entranhas da Minha Misericórdia, quando na cruz, o Meu Coração agonizante foi aberto pela lança.”(p.106).

Ensinamento de sobre a demonstração do amor a Deus pelo sofrimento

“Quando sofremos muito, temos uma grande oportunidade de demonstrar a Deus que O amamos, e quando sofremos pouco, então temos pouca possibilidade para demonstrar a Deus o nosso amor. Com a graça de Deus podemos chegar ao ponto de o nosso sofrimento transformar-se em deleite, porque o amor sabe fazer tais coisas nas almas puras.(p.107).

“O sofrimento é o companheiro constante da minha vida”(p.109).

“O sofrimento é o maior tesouro na Terra – purifica a alma. No sofrimento conhecemos quem é nosso verdadeiro amigo. O verdadeiro amor é medido com o termômetro dos sofrimentos. (p.115).

Oração pedindo misericórdia:

Diante do Céu e da Terra, diante de todos os Coros de Anjos, diante da Santíssima Virgem Maria, diante de todas as Potestades celestes, declaro a Deus Uno e Trino que hoje, em união com Jesus Cristo, Salvador das almas, faço espontaneamente o oferecimento de mim mesmo pela conversão dos pecadores, especialmente por aquelas almas que perderam a esperança na misericórdia de Deus. Este sacrifício consiste em eu aceitar, com total submissão à vontade de Deus, todos os sofrimentos, receios e temores que oprimem os pecadores, entregando-lhes em troca todos os consolos que tenha na alma, provenientes da convivência com Deus. Numa palavra, ofereço eles tudo: Santas Missas, Santas Comunhões, penitências, mortificações e orações. Não tenho medo dos golpes – dos assaltos desferidos pela justiça de Deus -, porque estou unida a Jesus.Ó meu Deus, desejo, dessa maneira, desagravar-vos por aquelas almas que não confiam na Vossa bondade. Confio, no oceano da Vossa Misericórdia.

Ó Sangue e Água que jorraste do Coração de Jesus como fonte de misericórdia para nós, eu confio em Vós. (p.108)

“Em determinado momento, quando vi Jesus em forma de uma Criancinha, perguntei: “Jesus, porque agora conviveis comigo assumindo a forma de uma criancinha? Afinal, assim mesmo, eu reconheço em Vós o Deus inconcebível, meu Criador e Senhor.” Jesus me respondeu que, enquanto eu não aprender a humildade e simplicidade, conviverá comigo como uma criancinha. (p.114).

Deus tem ciúme do nosso coração e quer que amemos somente a Ele.(p.114).

Oração para a adoração:

Ó Hóstia Santa, na qual está encerrado o testamento da misericórdia de Deus para nós, e especialmente para os pobres pecadores!

Ó Hóstia Santa, no qual está encerrado o Corpo e Sangue do Nosso Senhor, como testemunho da infinita misericórdia para conosco, e especialmente para com os pobres pecadores!

Ó Hóstia Santa, na qual está encerrada a Vida eterna da infinita misericórdia, concedida copiosamente a nós, e especialmente aos pobres pecadores!

Ó Hóstia Santa, na qual está encerrada a misericórdia do Pai, do Filho e do Espírito Santo para conosco, e especialmente para com os pobres pecadores!

Ó Hóstia Santa, na qual está encerrado o infinito preço da misericórdia, que pagará todas as dívidas, e especialmente a dos pobres pecadores!

Ó Hóstia Santa, na qual está encerrada a Fonte de água viva, que brota da infinita misericórdia para conosco, e especialmente para com os pobres pecadores.

Ó Hóstia Santa, na qual está encerrado o fogo do amor mais puro, que arde no seio do Pai Eterno, como um abismo de infinita misericórdia para conosco, e especialmente para com os pobres pecadores!

Ó Hóstia Santa na qual está encerrado o remédio para todas as nossas doenças, que flui da infinita misericórdia como de uma fonte para nós, e especialmente para os pobres pecadores!

Ó Hóstia Santa, na qual está encerrada a união entre Deus e nós, pela infinita misericórdia para conosco, e especialmente para com os pobres pecadores!

Ó Hóstia Santa, na qual estão encerrados todos os sentimentos do Dulcíssimo Coração de Jesus para conosco,e especialmente para com os pobres pecadores.

Ó Hóstia Santa, nossa única esperança, em todos os sofrimentos e contrariedades da vida!

Ó Hóstia Santa, nossa única esperança, em meio às trevas e às tempestades interiores e exteriores!

Ó Hóstia Santa, nossa única esperança na hora da morte.

Ó Hóstia Santa, nossa única esperança,em meio às trevas e às tempestades interiores e exteriores!

Ó Hóstia Santa, nossa única esperança na vida e na hora da morte!

Ó Hóstia Santa, nossa única esperança no meio aos insucessos e às profundas incertezas!

Ó Hóstia Santa, nossa única esperança no meio às falsidades e traições!

Ó Hóstia Santa, nossa única esperança nas trevas e na perversidade que cobre a Terra!

Ó Hóstia Santa, nossa única esperança no meio da saudade e da dor, em que ninguém nos compreende!

Ó Hóstia Santa, nossa única esperança no meio dos afazeres e da monotonia da vida cotidiana!

Ó Hóstia Santa, nossa única esperança no meio das ruínas dos nossos anseios e esforços!

Ó Hóstia Santa, nossa única esperança no meio dos ataques do inimigo e das investidas do inferno.

Ó Hóstia Santa, confio em Vós, quando as dificuldades superarem as minhas forças, quando eu ver ineficazes os meus esforços.

Ó Hóstia Santa, confio em Vós, quando as tempestades agitarem meu coração e o espírito atemorizado inclinar-se ao desespero!

Ó Hóstia Santa, confio em vós, quando o meu coração tremer e, quando o suor mortal cobrir minha fronte!

Ó Hóstia Santa, confio em Vós quando tudo conspirar contra mim e o negro desespero penetrar na minha alma!

Ó Hóstia Santa, confio em Vós, quando a minha vista se apagar para tudo o que é terrestre, e o meu espírito ver pela primeira vez os mundos desconhecidos.

Ó Hóstia Santa, confio em Vós, quando os meus trabalhos superarem as minhas forças, e o insucesso me acompanhar continuamente.

Ó Hóstia Santa, confio em Vós, quando o cumprimento da virtude me parecer difícil e a natureza se revoltar.

Ó Hóstia Santa, confio em Vós, quando os golpes do inimigo forem, desferidos contra mim!

Ó Hóstia Santa, confio em Vós, quando os trabalhos e os esforços forem condenados pelos homens!

Ó Hóstia Santa, confio em Vós, quando soar sobre mim o Vosso Juízo; então confiarei no oceano da Vossa Misericórdia;

Ò Santíssima Trindade, confio em Vossa infinita misericórdia. Deus é meu Pai, e eu portanto, Seu filho, tenho todos os direitos ao Seu Divino Coração; e quanto maiores as trevas, tanto mais deve ser a nossa confiança.

Agradecimento a Deus

Jesus, agradeço-Vos pelas pequenas cruzinhas diárias, pelas contrariedades nos meus planos, pelas dificuldades na vida comum, pela má interpretação das minhas intenções, pela humilhação que sofro dos outros, pelo procedimento rude comigo, pelos julgamentos injustos, pela saúde fraca e esgotamento físico, pela abnegação da vontade própria, pelo aniquilamento do próprio eu, pela incompreensão em tudo,pelo transtorno em todos os meus planos.

Agradeço-Vos, Jesus, pelos sofrimentos interiores, pela aridez do espírito, pelos temores, medos e incertezas, pelas trevas e espessa cerração interior, pelas tentações e diversas provações, pelos tormentos que são difíceis de exprimir e, especialmente, por aqueles em que ninguém nos compreenderá, pela hora da morte, pela dificuldade da luta nela, por toda a sua amargura.

Agradeço-Vos, Jesus – que primeiro bebeste este cálice de amargura, antes de o entregardes a mim, atenuado. Eis que aproximei os lábios do cálice da Vossa santa vontade; seja feito em mim de acordo com os Vossos gostos, seja feito comigo o que a Vossa sabedoria planejou antes dos séculos. Desejo esgotar o cálice dos destinos até a última gota,sem investigar seus significativos; na amargura está a minha alegria, no desespero, a minha confiança. Em Vós, Senhor, tudo o que dá o Vosso Coração de Pai é bom; não preferindo consolos às amarguras, nem amarguras aos consolos, por tudo Vos agradeço Jesus. Minha delícia é contemplar-Vos, Deus inconcebível. Nessas misteriosas experiências permanece o meu espírito, aí sinto que estou na minha casa. Conheço bem a morada do meu esposo. Sinto que não existe em mim uma gota de sangue sequer que não esteja inflamada de amor para Convosco. Beleza não criada, quem Vos conhece uma vez, nada mais pode amar. Sinto o abismo extremo da minha alma e nada pode preenchê-lo – a não ser o próprio Deus. Sinto que estou afundando nele como um grãozinho de areia no oceano profundo.(p.115).

Importância da obediência

Jesus disse a Santa Faustina: “que na mínimoa coisa esteja o selo da obediência”(p.121).

Jesus ensina a importância de refletirmos sua paixão

Jesus disse à Santa Faustina: Uma hora de reflexão sobre a Minha dolorosa Paixão tem maior mérito do que um ano inteiro de flagelação até o sangue; a reflexão sobre as Minhas dolorosas Chagas é muito proveitosa pra ti, e a Mim causa-Me grande alegria. Estou admirado que não renunciaste à vontade própria, mas alegro-Me porque tal mudança se dará no retiro.(p.123).

Cumprir sempre a vontade de Deus

“A partir de hoje, cumprirei a vontade de Deus, em toda parte, sempre e em tudo.(p.126)

Jesus ensina a Santa Faustina sobre a Misericórdia

Jesus disse à Santa Faustina: “Que proclamem esta Minha grande misericórdia. Eu mesmo os defenderei na hora da morte como a Minha glória. E,ainda que os pecados das almas fossem negros como a noite,quando o pecado recorre à Minha misericórdia presta-Me a maior glória e é a honra da Minha Paixão. Quando a alma glorifica a Minha bondade, então o demônio teme diante dela e foge até o fundo do inferno.(p.126).

Jesus disse à Santa Faustina: “As almas que recorrerem à Minha misericórdia e aquelas que glorificarem e anunciarem aos outros Minha grande misericórdia, na hora da morte Eu as tratarei de acordo com a Minha infinita misericórdia.”(p.126)

“O Meu Coração sofre – disse Jesus – porque até as almas eleitas não compreendem como é grande a Minha misericórdia. A convivência delas está imbuída de uma certa desconfiança. Oh! Como isso fere Meu Coração! Lembrai-vos da minha Paixão e, se não credes nas Minhas palavras, crede ao menos nas Minhas Chagas.”(p.126).

Santa Faustina é perseguida

“Perto do meio-dia, entrei por um momento na capela e novamente a força da Graça atingiu o meu coração. Enquanto permanecia em recolhimento, o demônio pegou um vaso de flores e com raiva o jogou no chão com toda a força. Vi toda a sua cólera e inveja. Ninguém estava na capela, por isso interrompi a oração, recolhi os pedaços do vaso quebrado e coloquei as flores no outro vaso.”(p.133)

Orientações à uma professora

Finalmente, dirigiu-se a mim e pediu que lhe respondesse se tinha a obrigação de cumprir uma promessa feita a Deus. Imediatamente, conheci interiormente que promessa era essa e respondi: “A senhora tem obrigação absoluta de cumprir essa promessa, porque de outra forma a senhora será infeliz durante toda a sua vida.” Esse pensamento não deixará a senhora em paz. Admirada com essa resposta, ela desvendou diante de mim toda a sua alma. Tratava-se de uma professora que, na hora de prestar os exames, fez a Deus a promessa de que, se eles lhe corressem bem, se dedicaria ao serviço de Deus, ou seja, ingressaria num convento. Porém, não obstante os exames terem ocorrido favoravelmente, “deixei-me envolver no turbilhão do mundo e não quis entrar no convento, mas a minha consciência não me deixa em paz e,apesar das diversões, sinto-me sempre insatisfeita.” Depois de uma longa conversa, essa pessoa mudou completamente e disse que logo tomaria as providências para ser aceita na ordem religiosa.(p.130)

Jesus aconselha Santa Faustina

“De manhã, quando vim à capela, ouvi na alma a voz: Estás unida Comigo, nada temas; mas fica sabendo, Minha filha, que o demônio te odeia; embora ele tenha ódio a toda alma,sente um ódio especial contra ti, porque arrancaste muitas almas ao seu domínio. (p.134).

Santa Faustina e o Anjo da Guarda

“Quando terminou o sermão, não esperei pelo final da cerimônia, porque tinha pressa de regressar à casa. Mas, mal havia dado alguns passos, surgiu diante de mim uma multidão de demônios que me ameaçavam com suplícios terríveis e podiam ouvir-se vozes: “Ela nos roubou tudo aquilo que conseguimos como trabalho de tantos anos”. Quando lhes perguntei: “Donde vindes em tão grande número? – responderam-me essas figuras maldosas: “Dos corações dos homens, não nos atormente”.

Vendo o seu terrível ódio para comigo, pedi ajuda do Anjo da Guarda e imediatamente surgiu diante de mim a clara e luminosa figura do Anjo da Guarda, que me disse: “Não tenhas medo, esposa do Meu Senhor, esses espíritos não te poderão fazer mal sem permissão d’Ele. Imediatamente, desapareceram os espíritos maus, e o fiel Anjo da Guarda acompanhou-me de maneira visível até a casa. Seu olhar era modesto e tranqüilo, e de sua fronte brotava um raio de fogo.

Ó Jesus, eu desejaria trabalhar, atormentar-me e sofrer a vida toda por esse único momento em que vi a Vossa glória,Senhor, e o proveito das almas.

Religiosos e leigos

“À noite, mal me tinha deitado na cama, logo adormeci, mas assim como adormeci, mais depressa ainda fui acordada. Veio visitar-me uma pequena criança e acordou-me. Pelo aspecto, essa criança parecia ter um ano de idade. Admirei-me que falasse tão bonito, pois crianças nessa idade não falam, ou falam muito confusamente. Era indescritivelmente bela, semelhante ao Menino Jesus, e disse-me estas palavras: Olha para o céu – e quando olhei, vi estrelas brilhantes e a lua, e então perguntou-me essa criança: Estás vendo a lua e as estrelas? Respondi que estava vendo, e ela me respondeu com estas palavras:
-Essas estrelas são as almas dos fiéis cristãos e a lua são as almas religiosas. Repara que grande diferença de luz existe entre a lua e as estrelas; assim, também no Céu há uma grande diferença entre a alma religiosa e a de um fiel cristão. – E disse-me mais: A verdadeira grandeza está no amor a Deus e na humildade.”(p.137).

Ensinamento de Jesus à Santa Faustina

Jesus disse à Santa Faustina: “Minha filha,nada temas, eu estou sempre contigo; todos os teus adversários só poderão prejudicar-te na medida em que Eu o permitir. És a Minha morada e o Meu permanente descanso; em atenção a ti, deterei o braço que castiga e, por ti abençôo a terra.(p.138).

Santa Faustina sente o amor de Deus no coração

Santa Faustina disse: “No mesmo momento, senti uma espécie de fogo no meu coração, tive a sensação de que até os sentidos me abandonavam, não sabia o que estava acontecendo em volta de mim. Senti que transpassava o olhar do Senhor;(p.138)

Misericórdia

“Em determinado momento, quando a Imagem estava exposta no altar,durante a procissão de “Corpus Christi”, e no momento em que o sacerdote expões o Santíssimo Sacramento, o coral começou a cantar. Então, os raios da Imagem atravessaram a Santa Hóstia e espalharam-se pelo mundo inteiro. Então, ouvi estas palavras: Através de ti, como através dessa hóstia,passarão os raios da misericórdia para o mundo. – Após estas palavras, uma profunda alegria penetrou na minha alma.(p.141).

Flagelação de Jesus

“Quando cheguei para adoração, logo me envolveu o recolhimento interior, e vi Nosso Senhor amarrado ao tronco e logo sobreveio a flagelação. Vi quatro homens que se revezavam a açoitar o Senhor com azorragues. O meu coração parava só de olhar para esses suplícios; então, o Senhor me disse estas palavras: Sofro uma dor ainda maior do que a que estás vendo – E Jesus deu-me a conhecer por quais pecados submeteu-se à flagelação: foram os pecados da impureza. Oh! Por que terríveis sofrimentos morais passou Jesus quando se submeteu à flagelação!” (p.142).

“Então vi Nosso Senhor pregado na cruz. Enquanto Jesus por alguns momentos estava suspenso nela, vi uma legião inteira de almas crucificadas da mesma forma que Jesus. E vi uma segunda e ainda uma terceira legião de almas. A segunda legião não estava pregada na cruz,mas as almas seguravam firmemente a cruz nas suas mãos; ao passo que a terceira legião de almas não estava pregada,nem segurava firmemente a cruz nas mãos, mas estas almas arrastavam a cruz após si e estavam insatisfeitas. Então Jesus me disse: – Estás vendo essas almas que são semelhantes a Mim em sofrimentos e desprezo?Elas serão também semelhantes a Mim na glória; e as que forem menos parecidas Comigo no sofrimento e no desprezo,essas também terão menos semelhança Comigo na Glória.” (p.142)

Ensinamento de Jesus à Santa Faustina sobre confiança

Jesus disse: Por que tens medo e tremes quando estás unida Comigo? Não me agrada a alma quando se entrega a vãs temores; quem ousaria tocar-me quando estás Comigo?A alma que mais Me agrada é aquela que crê firmemente na Minha bondade e tem plena confiança em Mim; concedo-lhe a Minha confiança e dou-lhe tudo que Me pede.(p.144)

Deus escolhe as almas mais fracas e mais simples

“O sacerdote falou à Santa Faustina, “Deus escolhe principalmente as almas mais fracas e mais simples, como instrumentos para realizar Suas maiores obras; (p.146).


O silêncio

“O silêncio é como uma espada na luta espiritual; a alma tagarela nunca atingirá a santidade. Essa espada do silêncio cortará tudo que queira apegar-se à alma. Somos sensíveis à fala e sendo sensíveis, logo queremos responder;não levamos em conta se é da vontade de Deus que falemos. A alma silenciosa é forte;nenhuma adversidade a prejudicará, se perseverar no silêncio. (p.147).

Vida silenciosa e oculta

“Á noite, quando eu rezava, disse-me Nossa Senhora: Vossa vida deve ser semelhante à minha:silenciosa e oculta, continuamente unida a Deus, em súplica pela humanidade e a preparar o mundo para a segunda vinda de Deus. (p.184).

Importância do sofrimento

“Depois do meio-dia fui fazer uma adoração de cinco minutos e, então, de repente, vi que o crucifixo que tenho sobre o peito estava vivo e disse: “- minha filha, o sofrimento será para ti um sinal que estou contigo.” Depois destas palavras, uma grande emoção penetrou na minha alma.(p.194).

Contemplação da Paixão de Cristo

Jesus disse à Santa Faustina: “São poucas as almas que contemplam a Minha Paixão com um verdadeiro afeto. Concedo as graças mais abundantes às almas que meditam piedosamente sobre a Minha Paixão.(p.206).

Amor a Deus sobre todas as coisas

Jesus disse à Santa Faustina: “Minha filha, não te esforces por falar tanto sobre aqueles a quem amas especialmente, pois também Eu os amo especialmente, e em consideração a ti cubro-os com as Minhas graças. Agrada-Me quando Me falas deles, mas não o faças com excessivo esforço.”(p.206)

Jesus ensina a misericórdia

Jesus disse à Santa Faustina: Eu te indico três maneiras de praticar a misericórdia para com o próximo: a primeira é a ação, a segunda é a palavra e a terceira a oração. Nesses três graus repousa a plenitude da misericórdia, pois constituem uma prova irrefutável do amor por Mim. É deste modo que a alma glorifica e honra a Minha misericórdia.(p.207).

No Nome de Jesus vencemos todas dificuldades

Jesus disse à Santa Faustina: “Deves saber que Eu estou contigo. Sou Eu que faço surgir as dificuldades e Eu as venço; num só momento posso transformar as atitudes contrárias em favoráveis a esta causa.(p.217)

Oração da Misericórdia

O amor de Deus é a flor – e a misericórdia o fruto.
Que a alma que desconfia leia estes louvores da misericórdia e torne-se confiantes.
Misericórdia Divina, que brota do seio do Pai, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, atributo máximo de Deus, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, mistério inefável, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, fonte que brotado mistério da Santíssima Trindade, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que nenhuma mente, nem humana nem angélica pode perscrutar, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, da qual provém toda a vida e felicidade, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, mais sublime do que os Céus.
Misericórdia Divina,fonte de milagres e prodígios.
Misericórdia Divina, que envolve o universo todo.
Misericórdia Divina, que desce ao mundo na Pessoa do Verbo Encarnado.
Misericórdia Divina, que brotou da chaga aberta do Coração de Jesus.
Misericórdia Divina, encerrada no Coração de Jesus para nós e sobretudo para os pecadores.
Misericórdia Divina, imperscrutável na instituição da Eucaristia
Misericórdia Divina, na Instituição da Santa Igreja.
Misericórdia Divina, no sacramento do Santo Batismo.
Misericórdia Divina, na nossa justificação por Jesus Cristo.
Misericórdia Divina, que nos acompanha por toda a vida.
Misericórdia Divina, que nos envolve de modo particular na hora da morte.
Misericórdia Divina, que nos concede a vida imortal.
Misericórdia Divina, que nos acompanha em todos os momentos da vida.
Misericórdia Divina, que nos defende do fogo do Inferno.
Misericórdia Divina, na conversão dos pecadores endurecidos.
Misericórdia Divina, enlevo para os anjos, inefável para os Santos.
Misericórdia Divina, insondável em todos os mistérios divinos.
Misericórdia Divina, que nos eleva de toda miséria.
Misericórdia Divina, fonte de nossa felicidade e alegria.
Misericórdia Divina, que do nada nos chama para a existência.
Misericórdia Divina, que abrange todas as obras das Suas mãos.
Misericórdia Divina, que coroa tudo que existe e que existirá.
Misericórdia Divina, na qual todos somos imersos.
Misericórdia Divina, doce consolo para os corações atormentados.
Misericórdia Divina, única esperança dos desesperados.
Misericórdia Divina, repouso dos corações, paz em meio ao terror.
Misericórdia Divina, delícia e êxtase dos Santos.
Misericórdia Divina, que desperta a confiança onde não há esperança.

Ó Deus eterno, em quem a misericórdia é insondável e o tesouro da compaixão é inesgotável, olhai propício para nós e multiplicai em nós a Vossa misericórdia, para que não desesperemos nos momentos difíceis, nem esmoreçamos, mas nos submetamos com grande confiança à Vossa vontade, que é Amor e a própria Misericórdia.

Festa da Misericórdia

Jesus disse à Santa Faustina:

“Nenhuma alma terá justificação, enquanto não se dirigir, com confiança, à Minha misericórdia. E é por isso que o primeiro domingo depois da Páscoa deve ser a Festa da Misericórdia”
“Neste dia, estão abertas as entranhas da Minha misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia; a alma que se confessar e comungar alcançará o perdão total das culpas e castigos; nesse dia estão abertas todas as comportas Divinas, pelas quais fluem as graças;
“Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de mim, ainda que seus pecados sejam como escarlate. A minha misericórdia é tão grande que por toda a eternidade não a aprofundará nenhuma mente, nem humana, nem angélica. Tudo que existe saiu das entranhas da minha misericórdia”
Desejo conceder indulgência plenária às almas que se confessarem e receberem a Santa Comunhão na Festa da Minha misericórdia.(p.279).

Dificuldades para se divulgar a Divina Misericórdia

Jesus disse à Santa Faustina: Apóstola da Minha misericórdia, proclama ao mundo toda esta Minha insondável misericórdia. Não desanimes com as dificuldades que encontrares na divulgação da Minha misericórdia. Essas dificuldades, que tão dolorosamente te atingem, são necessárias para a tua santificação e para comprovar que essa obra é Minha. (p.284).

Ensino

Jesus disse à Santa Faustina: Minha filha, por que dás tanta importância ao ensino e às palavras dos homens? Eu mesmo quero instruir-te e, por isso estou arrumando as circunstâncias de tal forma que não possas participar dessas conferências. Num só momento te darei mais conhecimento do que os outros conseguirão labutando durante muitos anos. (p.284).

Saber calar

Jesus disse à Santa Faustina: “Minha filha, quando Eu estava perante Herodes, pedi para ti a graça de saberes elevar-te acima do desprezo humano e seguir fielmente os Meus passos. Cala-te quando não querem reconhecer a tua verdade, porque então serás mais eloqüente.(p.288).

Pecado mortal

Jesus disse à Santa Faustina: “Minha filha, fica sabendo, de uma vez para sempre, que apenas o pecado mortal me expulsa da alma e nada mais.(p.290).

Jesus está em nosso coração

Jesus disse à Santa Faustina: “Desejo-me unir-Me com as almas humanas; a Minha delícia é unir-Me com elas. Fica sabendo, Minha filha, [que] quando venho pela Santa Comunhão ao coração do homem, tenho as mãos cheias de toda de graças e desejo entregá-las às almas, mas elas nem me dão atenção; deixam-Me sozinho, e se ocupam com outras coisas. Oh! Quão triste fico por não reconhecerem o amor! Procedem Comigo como com alguma coisa morta.(p.335).

Receber Jesus Eucarístico com fé

Jesus disse à Santa Faustina: “É verdade, sou O mesmo sob todas as espécies,mas nem todas as almas Me recebem com a mesma fé viva com que Tu me recebes, Minha filha, e por isso ao posso agir nas almas delas como ajo na tua. (p.339).

Misericórdia infinita

Jesus disse à Santa Faustina: “Filha, não fales mais da tua miséria, porque já não Me lembro dela. Ouve, Minha filha, o que desejo dizer-te. Reclina-te em Minhas Chagas e haure da Fonte da Vida tudo o que teu coração possa desejar. (p.354)

Jesus disse à Santa Faustina:Fica sabendo, alma, que todos os teus pecados não feriram tão dolorosamente o Meu Coração como esta tua desconfiança; depois de tantos esforços do Meu amor e daMinha misericórdia, não confias na minha bondade.(p.355).

Diálogo de Jesus e Santa Faustina

Santa Faustina: “A falta de saúde me detém no caminho da santidade. Não posso cumprir as obrigações; sou como a quinta roda de um carro. Não posso mortificar-me, jejuar rigorosamente, como faziam os santos. Ou então não acreditam que estou doente, e ao sofrimento físico ajunta-se o sofrimento moral, donde decorrem muitas humilhações. Estas vendo, Jesus? Como posso tornar-me santa?

Jesus: Filha, é verdade tudo isso é sofrimento,mas não existe outro caminho para o Céu além do caminho da cruz. Eu mesmo passei primeiro por ele. Deve saber que é o caminho mais curto e mais seguro;

Perfeição

Jesus disse à Santa Faustina: “As almas eleitas são como luzes em Minhas mãos, luzes que lanço na escuridão do mundo e ilumino. Como as estrelas iluminam a noite, assim as almas eleitas iluminam a Terra, e quanto mais perfeita é a alma, tanto mais luz lança em torno de si e alcança mais longe. Pode ser oculta e desconhecida até pelos mais próximos, porém a sua santidade reflete-se nas almas até nos mais distantes confins do mundo.(p.383).

Faltas voluntárias

Jesus disse à Santa Faustina: Minha filha, escreve-as faltas involuntárias das almas não detém o Meu amor paras com elas, nem impedem aminha união com elas; porém as faltas, ainda que mínimas, mas voluntárias, estas sustam as minhas graças e não posso cumular tais almas com Minhas graças.(p.391).

Poder da oração

Jesus disse à Santa Faustina: “Minha filha, quero ensinar-te como deves salvar as almas pelo sacrifício e pela oração. Pela oração e pelo sofrimento salvarás mais almas do que o missionário apenas pelos ensinamentos e sermões.(p.422)
——————————————-

Bibliografia: O Diário de Santa Faustina

Anúncios

Arquivos

Ano Sacerdotal

Campanha da Fraternidade 2010

Anúncios